segunda-feira, 2 de julho de 2012

Tango na Rio de Janeiro


Um homem toca tango numa esquina da Rio de Janeiro

Oh céus... seu violino nunca soou tão belo
Lhe dou moedas em agradecimento. Todos os dias lhe dou moedas
É preciso coragem para tocar tão belas melodias nas esquinas belo-horizontinas
Tinha de ser paulista
Vivas à coragem doutros estados
Nós mineiros somos medrosos e conservadores e tradicionalistas de mais para
....................ter coragem de tocar tangos em esquinas.
Precisamos um pouco da irreverência doutros estados
Venha ela em tangos
Em barrocos
Em violinos tocados em esquinas

Oh céus... teu violino nunca soou tão belo
E soará mais belo a cada dia
E eu ponho algumas moedas no estojo de teu violino
Vá... continue tocando Gardel e Bach em teu violino
Aproveita-te da minha embriaguez e embriaga-me mais ainda com tuas
....................belas melodias
Nestas esquinas
Nestas igrejas - a cada quarteirão belo-horizontino, uma igreja em estilo barroco tardio
....................e gótico
Nestas luzes posteanas
Ah estas luzes nunca estiveram tão belas
Mais a baixo está o vergalhão belo-horizontino
O Pirulito
Le sucette a la anis d'Annie
E cá em cima estou eu
Com meu vinho à bolsa pronto para ser bebido outra vez

Vai violinista paulistano
Embriaga-me com tuas notas melodiosas e harmônicas, caro moreno violinista
Embriaga-me com tuas melodias violinísticas enquanto eu me embriago em um campo
....................largo suave.
Vá... leva-me com tuas notas para campos infindos onde eu estarei junto à minha amiga
Em tuas notas eu cavalgarei em campos verdejantes
Junto à minha amada apenas em minhas imaginações
Não sei onde ela está agora
Onde estará?
Será que se lembra de minha vã existência?
Não.
Duvido muito.

Não importa.
Só importa agora é Gardel.
As notas e melodias de Gardel que se vem aos meus ouvidos
"Por uma cabeça todas as loucuras,  que importa perder mil vezes a vida"
Então se tenho hoje esta suavidade sonora
Transformando todas lembranças alegres em mais alegres ainda
Fluindo pelos meus ouvidos?

2 comentários:

  1. Vá... leva-me com tuas notas para campos infindos onde eu estarei junto à minha amiga
    ''Em tuas notas eu cavalgarei em campos verdejantes
    Junto à minha amada apenas em minhas imaginações
    Não sei onde ela está agora
    Onde estará?
    Será que se lembra de minha vã existência?
    Não.
    Duvido muito.''

    Que passagem maravilhosa; gostei do estilo do texto. Lembrou-me de Álvares de Azevedo. Gostei bastante daqui, ótimos textos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico agradeço por seu comentário e os elogios.

      Fico também alegre em saber que a influência de Álvares de Azevedo continua transparecendo em meus textos - visto que o autor foi um divisor de águas para mim.

      Excluir

Leitores dos Boêmios