quinta-feira, 1 de março de 2012

Poema de Rato nº 2


Sujo rato pobre
Cruzo em pequenos pulos
Todos os cantos escuros
Becos sujos
Sarjetas às margens
De bocas de lobo
Bocas de fumo

Rato pobre sujo
Cato misérias no chão
Bitucas de cigarro
E uma longneck
Desesperançosa
Largada nessas sujas
Calçadas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leitores dos Boêmios