quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Poema de Rato nº 1


Sou um qualquer
Esquecido
Largado
Deixado
Escondido

Ninho de rato
Quarto quente
Num canto qualquer
De um lugar qualquer

Sou um qualquer
Sem grupo
Sem lugar
Além
Dum bagunçado
Ninho de rato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leitores dos Boêmios