quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

   A casa vazia, uma música se espalha solitariamente pelo quarto. Sentado na janela eu vejo o sol se despedir em lágrimas até sumir por detrás da serra. O mundo se aquieta, as sombras chegam para mergulhá-lo na escuridão. Estrelas começam a surgir por toda a terra sob o olhar solitário da lua enquanto uma estrela viaja pelo céu deixando seu rastro por onde passa, até sumir por entre as nuvens. O vento sopra, me chamando a atenção para um morcego que passa voando por mim, me lembrando que ainda há vida no mundo lá fora. Sonhos invadem a cidade, o mundo se prepara para dormir. Um vento frio passa avisando que irá chover essa noite, só que eu não tenho ninguém para me aquecer. Os sinos da igreja quebram o silêncio para se despedir desse dia que acaba e cumprimentar o que irá chegar, enquanto eu permaneço aqui esperando o sol retornar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leitores dos Boêmios