quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Minhas Testemunhas

As esquinas são testemunhas
De meus amores & amarguras
Sou cafajeste a moda antiga
Cheio de amores cheios de ternura

Amores de esquina & bebida
Passageiro como tudo na vida
Meu samba-canção enrolado
E meu coração amargurado

Oh boemia! Amores sem vida
Vida sem alegrias & bar de esquina
Oh boemia! Vida sem sentido
Perdida & sem destino

As esquinas são as testemunhas
De meus amores & amarguras
Pois os amores de um cafajeste
Não brotam se não nas ruas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leitores dos Boêmios