quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Francesinha rubro-carmim


Uma francesinha de lábios carmins
Vasos sangüíneos à flor da pele
Pele rubra. pele

Cílios muito pretos. Olhos, duas luas
Bustos.... tamanho perfeito de minha mão
Oh! A alma divina me tira a vida

Que xangri-lá dure o que durar
O paraíso no corpo feminino
Quente, trêmulo, rubro

Os deuses regozijam no prazer
do mambo, da lambada, a dançando no gozo
Oh! E agora? O que fazer?

Na face lívida derrama o vinho
Deus Baco rogai por ela e eu
O calor do vinho fazendo o gozo interminável

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leitores dos Boêmios