quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Diário de um Desconhecido X

Abro os olhos e vejo que está escuro, mas não sei se é noite ou se é dia. Sinto a vida, a morte e o tempo me envolvendo, tomando conta de mim. Ouço-as dizendo que enquanto eu permanecer neste mundo nós cinco estaremos sempre juntos. Olho o sol e vejo a lua. Observo esse mundo ao meu redor. Tudo aqui é novo, diferente, estranho para mim. A vontade que eu tenho é explorar o mundo, conhecer tudo o que há nele. Ver, ouvir e sentir tudo de bom que existe nesse mundo. Minha curiosidade é enorme, mas o tempo vem dizer que isso está fora dos planos, pois, na verdade, eu já estava adiantado. Ele diz que eu ainda não deveria estar aqui, isso prejudicou os planos. Dizem-me para não me preocupar pois o tempo está sempre reclamando, mas, como eu poderei ver, ele é um bom amigo. A felicidade, a fome, a tristeza e a ingratidão chegam para darem as boas vindas, a alegria é a mais presente. Conheço o dia, que, nesse dia, está radiante, e a noite, bela e misteriosa. Todos querem aproveitar a ocasião e comemorar. Isso me parece legal até que o conselho me apresenta o cansaço, o qual me diz que o melhor para mim seria descansar. E é então que eu percebo o quão cansado eu estava e, por fim, o sono chega me convidando a ir conhecer o mundo dos sonhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leitores dos Boêmios