terça-feira, 22 de junho de 2010

Poema Urbano nº2

Vi o louco profeta das ruas
Pedia dinheiro em troca
Dum Deus te abençoa
            (olhava os cinco centavos com seus olhos desfocados)

Vi frades e freiras
Vestiam seus finos mantos
Calçavam sandálias melhores que as minhas
            (Que não são lá grandes coisas)

Vi mendigos deitados
Ou sentados ouvindo rádio
Em seus radinhos de pilha de fones

Ouvi a cega da calçada
Entoando aos quatro cantos
Seu canto de Mega-Sena acumulada

Ouvi sinfonias eruditas
Dum Palácio das Artes que
Apenas uma vez me dei ao privilégio de ir


Ouvi a sinfonia das ruas
Quando saía das ruas e
Ia ao parque de minha infância

Vi os neons de motéis
Pequenos motéis duvidosos
Clamando um tiquinho de adultério

Comi uma fatia de pizza
Onde do outro lado da vitrina
Um mudo andarilho pedia uma fatia
            (Ele me deu um abraço em agradecimento)

Ouvi o canto do maltrapilho
Na praça da área nobre até
Maltrapilho canta em bom inglês
            ("It's now or never
            Come hold me tight
            Kiss me my darling
            Be mine tonight
            Tomorrow will be too late
            It's now or never
            My love won't wait")

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leitores dos Boêmios