quarta-feira, 16 de junho de 2010

Diário de um Desconhecido III

Já é tarde, a esta hora eu deveria fazendo algo de útil, mas, na verdade, o meu desejo é passar o dia inteiro aqui deitado, só pensando em minha vida. E eu penso, penso em como não aproveito bem a minha vida. Lembro-me que raramente eu faço aquilo que eu realmente quero, que eu raramente sei o que eu quero. Relembro-me de tudo de errado que já fiz e de tudo o que não fiz. Percebo o quão cheio de dúvidas eu sou, que eu nem mesmo sei quem sou. Descubro o quão inútil eu sou. Eu concluo que minha vida não possui sentido algum. Sinto a alegria ir embora, vejo a solidão sentar-se calmamente a meu lado enquanto a tristeza acalma minha mente acariciando meu coração e o desespero se aproxima. Minhas lágrimas decidem se libertarem de min levando com elas minhas forças. Já não sei se tenho forças para prosseguir com minha jornada e não vejo mais saída para meus caminhos. Tudo o que eu vejo é o cansaço. E eu estou cansado, cansado de ter tantas dúvidas, cansado de perceber que nada faz sentido, cansado de não ver direito a felicidade, cansado de ser um inútil, cansado de não saber viver, cansado de ..., muito cansado. Meu único desejo é sumir, deixar de ser um inútil, abandonar a dor, a solidão , a tristeza e o desespero. Enquanto eu penso aparece o sono que me leva de volta ao mundo dos sonhos fazendo-me esquecer de tudo o que eu jamais deveria ter lembrado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leitores dos Boêmios