quarta-feira, 21 de abril de 2010

Onde é que ela está?

Passa o dia, chega a noite,
E uma dor me incomodando.
Só dois dias longe dela
E essa dor insuportável.
Se encontrá-la eu puder
Essa dor vai se acabar.
Onde ela está?

Olho o céu, não vejo a lua,
Só com ela a noite é bela.
Eu procuro pela ajuda,
Mas só acho o desespero.
Encontrar a calma eu tento,
Mas só ela me acalma.
Onde é que ela está?

Não sei mais como encontrá-la,
Pois sem ela eu só penso em nada.
Olho no espelho e não vejo imagem,
Pois sem ela eu sou um nada.
Não consigo ir lá fora,
Pois sem ela eu nem mesmo faço nada.
Onde diabos ela está?

Preocupado eu fico tanto
Que nem vejo a noite ir e o dia vir.
O cansaço é tão grande
Que vencido pelo sono eu sou
E sem ela eu vou dormir,
Mas com ela eu vou sonhar.
Onde foi parar minha aspirina?



Moral da história: não confunda amor com dor de cabeça.

Um comentário:

Leitores dos Boêmios