terça-feira, 14 de agosto de 2012

Pássaro Negro



Como pensamentos soltos no ar, ele me observa
Como sombras de um passado distante, ele me persegue
Como lembranças de uma mente inquieta, ele me condena
Como posso eu ser culpado por crimes que nem cometi?

Com as sombras de seu coração, ele me prende
Com seu olhar de desprezo, ele me pune
Com um sorriso de escarnio, ele me humilha
Como posso eu ser refém de mim mesmo?

Tal qual uma deusa ela vem me salvar
Tal qual a lua a brilhar no céu, ela tenta me ajudar
Como poderei eu derrotar a mim mesmo

Como uma tempestade ele se vai
Mas por perto ele permanecerá
Como um pássaro negro a me observar

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Vampiros

Vampiros andam pelas ruas Soturnas Como eu eles buscam sangue nas ruas Noturnas Vampiros caminham solitários Hora em grupos Farejam garotas adolescentes Bêbadas e burras Vagando pelas soturnidade das ruas Escuras

Leitores dos Boêmios